Religião evangélica vira patrimônio cultural imaterial do estado de Mato Grosso
30/10/2023 12:13 em Novidades

DESTAQUES

Religião evangélica vira patrimônio cultural imaterial do estado de Mato Grosso

Published

  

on

 
 
Compartilhe
 
 
 

A religião evangélica foi oficialmente reconhecida como patrimônio cultural imaterial do estado de Mato Grosso por meio da Lei 12.229/23, sancionada em 31 de agosto deste ano. A iniciativa, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho, destaca a influência das religiões de matriz evangélica na história do estado.

O reconhecimento foi recebido com satisfação por líderes religiosos e fiéis, que consideram a nova lei como um marco importante para a comunidade evangélica em Mato Grosso. André Cristhiano Oliveira da Silva, pastor-presidente da Igreja Assembleia de Deus Pentecostal Missionária, localizada no bairro Coophamil, em Cuiabá, enfatiza a importância da medida. Segundo ele, a lei representa segurança, reconhecimento de identidade e valor para a comunidade evangélica, que desempenha um papel significativo na sociedade, realizando ações como restauração, batismos e assistência a casais e enfermos.

“Entendemos que as matrizes evangélicas são a própria constituição do início de toda a história. Essa lei do deputado Botelho gera o sentimento de identidade, continuidade e promove o respeito. Temos várias religiões em nosso estado, e essa lei contribui para a preservação da história de nosso povo”, afirmou André Silva.

Na proposta de lei, o deputado Eduardo Botelho destaca que a religião evangélica faz parte do Cristianismo e que o termo “evangélico” refere-se àqueles que seguem o Evangelho, ou seja, os ensinamentos deixados por Jesus Cristo.

“O grande Mestre não apenas ensinou, mas ordenou que sua mensagem fosse espalhada por toda a terra. Com a sanção desta lei, as religiões de matriz evangélica passam a fazer parte oficialmente do Patrimônio Cultural Imaterial Mato-grossense devido à sua forte influência em nossa história”, explicou Botelho.

A história da religião evangélica remonta aos primeiros apóstolos de Jesus, que registraram seus ensinamentos, milagres e ações em cartas. A igreja primitiva, como descrito na proposta de lei, enfatizava a comunhão, o auxílio mútuo e a assistência a órfãos e viúvas, demonstrando o amor de Deus.

Exibir Gospel / Leilaiane Lopes

 

 
 
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!