Candidato de extrema-esquerda a prefeito em SP quer se aproximar de evangélicos
19/10/2023 14:26 em Novidades

 

POLITICA

Candidato de extrema-esquerda a prefeito em SP quer se aproximar de evangélicos

Published

  

on

 
 
Compartilhe
 
 
 

Em preparação para as eleições do próximo ano, Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, partido de extrema-esquerda,  está adotando uma estratégia para tentar atrair o eleitorado evangélico na capital paulista.

 Com grandes igrejas evangélicas, como a Universal e a Assembleia de Deus, apoiando o prefeito Ricardo Nunes, membro do MDB, Boulos e seus aliados do PT estão em negociações com pastores de igrejas menores e independentes das grandes denominações, localizadas nos bairros periféricos da cidade.

O contato com os líderes religiosos está sendo intermediado principalmente por figuras de liderança comunitária de esquerda e teve início há cerca de um mês atrás. Guilherme Boulos se reuniu com sua equipe de pré-campanha na última segunda-feira, 16 de outubro, em um hotel no Largo do Arouche, região central de São Paulo, para discutir os detalhes dessa estratégia.

“Já tivemos um encontro, faz um mês e pouco, com mais de 20 pastores de igrejas do Jardim Ângela e do M’Boi Mirim. Temos feito diálogo com esse segmento e aqui na campanha essa será uma preocupação: buscar quebrar essa barreira,” afirmou Boulos.

O eleitorado evangélico representa uma parcela significativa dos eleitores da capital paulista, estimada em até um terço. Tradicionalmente, esse eleitorado tem inclinações conservadoras, o que poderia se apresentar como um desafio para Guilherme Boulos, que é um pré-candidato de extrema-esquerda na disputa eleitoral.

Na segunda-feira, o deputado do PSOL adiantou a abordagem que pretende adotar para conquistar os votos desses eleitores.

Candidato de extrema-esquerda a prefeito em SP quer se aproximar de evangélicos

Em preparação para as eleições do próximo ano, Guilherme Boulos, deputado federal e pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, partido de extrema-esquerda,  está adotando uma estratégia para tentar atrair o eleitorado evangélico na capital paulista.

 Com grandes igrejas evangélicas, como a Universal e a Assembleia de Deus, apoiando o prefeito Ricardo Nunes, membro do MDB, Boulos e seus aliados do PT estão em negociações com pastores de igrejas menores e independentes das grandes denominações, localizadas nos bairros periféricos da cidade.

O contato com os líderes religiosos está sendo intermediado principalmente por figuras de liderança comunitária de esquerda e teve início há cerca de um mês atrás. Guilherme Boulos se reuniu com sua equipe de pré-campanha na última segunda-feira, 16 de outubro, em um hotel no Largo do Arouche, região central de São Paulo, para discutir os detalhes dessa estratégia.

“Já tivemos um encontro, faz um mês e pouco, com mais de 20 pastores de igrejas do Jardim Ângela e do M’Boi Mirim. Temos feito diálogo com esse segmento e aqui na campanha essa será uma preocupação: buscar quebrar essa barreira,” afirmou Boulos.

O eleitorado evangélico representa uma parcela significativa dos eleitores da capital paulista, estimada em até um terço. Tradicionalmente, esse eleitorado tem inclinações conservadoras, o que poderia se apresentar como um desafio para Guilherme Boulos, que é um pré-candidato de extrema-esquerda na disputa eleitoral.

Na segunda-feira, o deputado do PSOL adiantou a abordagem que pretende adotar para conquistar os votos desses eleitores. “Boa parte dos evangélicos da cidade de São Paulo, pentecostais, neopentecostais, são moradores da periferia e sofrem com a carência de serviços públicos, dificuldades que têm a ver com a atuação da Prefeitura. É a partir desta perspectiva e deste viés, os temas concretos da vida, e ter uma gestão mais humana e solidária, que vamos tratar o diálogo com os evangélicos,” declarou Boulos.

No cenário político, o atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, já conta com o apoio do partido Republicano, que tem ligações com a Igreja Universal do Reino de Deus. Nesta segunda-feira, o prefeito se reuniu com André Tsuchita, CEO da Igreja Assembleia de Deus Ministério do Belém, indicando a importância das igrejas no contexto eleitoral da cidade. As informações são do Metrópoles.

públicos, dificuldades que têm a ver com a atuação da Prefeitura. É a partir desta perspectiva e deste viés, os temas concretos da vida, e ter uma gestão mais humana e solidária, que vamos tratar o diálogo com os evangélicos,” declarou Boulos.

No cenário político, o atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, já conta com o apoio do partido Republicano, que tem ligações com a Igreja Universal do Reino de Deus. Nesta segunda-feira, o prefeito se reuniu com André Tsuchita, CEO da Igreja Assembleia de Deus Ministério do Belém, indicando a importância das igrejas no contexto eleitoral da cidade. As informações são do Metrópoles.

Exibir Gospel

 

 
 
COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!